Implante Dentário: saiba tudo sobre ele

O Implante Dentário é, atualmente, a opção de reabilitação oral que mais se aproxima de um dente natural.
Esclareça todas as suas dúvidas, acessando os tópicos abaixo apresentados.

Implantes dentários:
o que são?


Saiba:
  • - O que são os implantes dentários,
  • - Como funcionam,
  • - Implante dentário dói,
  • - Quais os benefícios,
  • - Para quem são e não são recomendados,
  • - Diferenças entre implantes e próteses.
Clique aqui

Implantes dentários:
passo a passo


Saiba:
  • - Passo a passo do tratamento.





Clique aqui

Implantes dentários:
preço e especialistas


Saiba:
  • - Quanto custa um implante dentário?,
  • - Todos os dentistas estão habilitados a realizar o tratamento?



Clique aqui

Reabsorção óssea
ou Perda óssea


Saiba:
  • - O que é Reabsorção Óssea,
  • - Como ocorre a Reabsorção Óssea,
  • - Consequências da Reabsorção Óssea.



Clique aqui

Edentulismo
e suas causas


Saiba:
  • - Edentulismo: o que significa,
  • - Anatomia dos dentes,
  • - Causas da perda dos dentes,
  • - Consequências da perda dos dentes.


Clique aqui

O que são implantes dentários?

Implantes dentários são raízes artificiais, integradas ao osso da mandíbula ou do maxilar, sobre as quais são acopladas coroas dentárias. Veja imagem ilustrativa no infográfico abaixo.

Como funciona o implante dentário?

O implante dentário possui formato semelhante ao de um parafuso. São feitos de Titânio ou Zircônia, metais capazes de se integrar ao osso humano, por meio de um processo conhecido como Osseointegração. Veja imagem ilustrativa no infográfico abaixo.

Implante dentário dói?

A cirurgia de implante é feita sob o efeito de anestesia local. Nos dias seguintes, o paciente poderá apresentar inchaço e algum desconforto, que dependerão da extensão da cirurgia e do organismo do paciente. O dentista deverá prescrever medicamentos para o controle desses quadros, em caso de necessidade.

Benefícios dos implantes dentários:

  • - O implante é a opção de reabilitação que mais se assemelha a um dente natural.

  • - Proporciona segurança e estabilidade ao falar, sorrir e mastigar, além de promover o aumento da auto-estima.

  • - Impede a reabsorção óssea, que altera a fisionomia após a perda dos dentes.

  • - Com higiene bucal adequada e visitas regulares ao dentista, o implante pode durar muito mais que os tratamentos alternativos.

Quem pode fazer implante dentário?

Para receber um implante, é necessário ter:
  • - boas condições de saúde,
  • - gengivas saudáveis,
  • - estrutura óssea suficiente.
O implante não é recomendado para adolescentes (estrutura óssea em formação), fumantes e portadores de Osteoporose (densidade mineral óssea reduzida) e portadores de Diabetes não controlada (cicatrização lenta e maior propensão a infecções).

O profissional deve avaliar se o paciente possui condições de saúde adequadas para ser submetido ao tratamento.


Implantes Dentários X Próteses

Implante x Próteses móveis
  • - Implantes oferecem sensação de mais segurança e estabilidade que as próteses móveis porque são fixos ao osso. Por outro lado, estes não envolvem cirurgia, sendo menos invasivos.

  • - Implantes evitam a reabsorção óssea. As próteses móveis, não.

  • - As próteses móveis reduzem a força da mordida, fazendo com que a dieta passe a ser composta por alimentos de mais fácil mastigação.

  • - Implantes não são uma opção para pessoas que apresentem doenças periodontais e alguns problemas de saúde.

  • - Implantes requerem bons hábitos de higiene bucal.

  • - Implantes custam mais, mas têm durabilidade maior.

Implante x Próteses fixas
  • - Próteses fixas requerem dentes vizinhos saudáveis e fortes o suficiente para suportá-las. Para tanto, os dentes-suporte devem ser desgastados, o que não ocorre com os implantes.

o que são implantes dentários



Compartilhe esse Infográfico no seu site (copie e cole o código HTML)



Clique aqui para visualizar uma versão em alta resolução deste infográfico


Estas informações são úteis?

Informe seus dados, e receba, gratuitamente, no seu e-mail, mais orientações e dicas como estas!


As fases do tratamento para colocação de implante dentário são:
  • 1. Exames Preliminares: são solicitados a fim de identificar as condições do paciente e auxiliar a traçar o plano de tratamento.
    • Raios X e Radiografias Panorâmicas: permitem identificar patologias ósseas e dentárias,
    • Exame Periodontal: auxiliam na identificação de doenças na gengiva,
    • Exames completos em cada dente: para identificar a presença de cáries, por exemplo.
  • 2. Cirurgia para instalação do implante (pino): a cirurgia de implante consiste na abertura da gengiva até a exposição do osso. Nele, é aberto um orifício, onde será colocado e preso o implante. Este conjunto se assemelha muito ao de uma bucha (osso) e um parafuso (implante). Na maioria dos casos, o paciente recebe anestesia local. A duração deste processo para um implante costuma ser de, aproximadamente, uma a uma hora e meia.

  • 3. Aguarda-se a osseointegração e a cicatrização (em torno de três meses).

  • 4. Instalação do Pilar (peça que une o pino do implante à prótese).

  • 5. Colocação da prótese.


Quanto custa um implante dentário?

É importante frisar que o valor de um implante dentário é diferente do valor do tratamento. A legislação brasileira estabelece que o preço de um tratamento só pode ser definido por um profissional capacitado, após a avaliação do seu caso em consulta presencial. Já o preço de um implante dentário, ou seja, do pino que é instalado no osso da boca, varia de acordo com o tipo de implante, material de que é feito, procedência (nacional ou importado), entre outros fatores.

O preço médio de um implante dentário nacional é R$ 1.400,00.

Todos os dentistas estão habilitados a realizar Implantes?

Não. Estão habilitados a fazer implantes apenas os cirurgiões-dentistas com especialização em Implantodontia, Buco-Maxilo-Facial ou Periodontia.

Você pode checar se um profissional possui especialização, neste endereço do Conselho Federal de Odontologia. Prefira fazer a busca pelo número do CRO, sem incluir o ponto.

Como cuidar dos implantes dentários?


O que é reabsorção óssea


A reabsorção óssea, também chamada de perda óssea, é um processo que se inicia tão logo um dente é extraído ou perdido. Para que este processo seja interrompido a tempo de não causar prejuízos à saúde, bem estar e autoestima, é importante que o implante seja colocado o quanto antes.

Os dentes são sustentados, em suas posições, por óssos, chamados Maxila (parte superior) e Mandíbula (parte inferior). Estes ossos são revestidos pela Gengiva.


Como ocorre a reabsorção óssea?


Os ossos estão em constante processo de renovação. A eliminação das células antigas é um processo contínuo. Já as novas células são produzidas pela medula óssea, em resposta à pressão exercida no osso, pelo dente, em decorrência da mastigação. Quando o dente é perdido, o osso não é mais submetido à pressão e, consequentemente, não ocorre mais a produção de novas células. Assim, o osso passa apenas a perder células, o que reduz o seu volume.

Pacientes que optam por próteses totais móveis (dentaduras), por exemplo, sentem que o encaixe é perfeito quando a prótese é nova. Depois de alguns anos, em função da reabsorção óssea, a aderência à gengiva é reduzida. Veja, no infográfico, ilustrações com a evolução da redução óssea em um período de 30 anos.


Consequências da reabsorção óssea


A reabsorção óssea também provoca alterações estéticas faciais no paciente. Os lábios afinam e a distância entre o queixo e o nariz diminuem.

Como os dentes são interdependentes, ou seja, como a posição de cada um depende da posição dos demais, quando um dente é perdido, os adjacentes se movimentam em direção ao espaço vazio. Esta movimentação pode provocar problemas de oclusão, além de facilitar o aparecimento de cáries e doenças periodontais, uma vez que a nova disposição dos dentes pode apresentar locais de maior dificuldade para limpeza.

Os implantes dentários são a única opção de reabilitação oral disponível, atualmente, capaz de impedir a evolução do processo de reabsorção óssea.


o que é reabsorção óssea



Compartilhe esse Infográfico no seu site (copie e cole o código HTML)



Clique aqui para visualizar uma versão em alta resolução deste infográfico


Estas informações são úteis?

Informe seus dados, e receba, gratuitamente, no seu e-mail, mais orientações e dicas como estas!


Edentulismo


Edentulismo significa ausência parcial ou total dos dentes naturais.
Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, 11% da população com 18 anos ou mais perdeu todos os dentes. Nesta mesma faixa etária, 23 % perderam 13 dentes ou mais.
O implante dental é a opção de reabilitação oral que mais se aproxima do dente natural.

Anatomia dos dentes


Para melhor entendimento dos motivos que levam à perda dos dentes, conheça cada uma das partes que o compõem. Veja no infográfico acima.

Perda dos dentes: causas

  • Doenças Periodontais: São infecções na estrutura que sustenta o dente. São provocadas pela má higiene bucal.

  • Cáries não tratadas: As cáries são consequência da ação de bactérias não removidas pela higiene oral. Têm origem no Esmalte, e evoluem no sentido do núcleo do dente.

  • Bruxismo: É o hábito de ranger e apertar os dentes, causando sobrecarga em sua estrutura, em função da contínua tensão.

  • Traumas: Traumas em consequência de impacto, como acontece em acidentes, podem causar a fratura da raiz do dente e/ou a perda do volume ósseo.

  • Dentes mal posicionados: O mau posicionamento dos dentes pode provocar dois tipos de problema. Um é a sobrecarga de um dente, que não possui estrutura para sustentá-lo. O outro é o mau posicionamento em decorrência do deslocamento do dente. Dentes adjacentes tendem a se deslocar em direção os espaços deixados por dentes faltantes. Assim, ficam mais propensos a doenças decorrentes da má higienização bucal.

  • Medicamentos: Medicamentos usados em Quimio e Radioterapia.

  • Ausência congênita: Não há um dente definitivo para substituir o dente de leite.

Perda dos dentes: consequências

  • Efeitos psicológicos: A perda dos dentes afeta a autoconfiança e contribui para o isolamento social, e contribui para a diminuição da autoestima e da qualidade de vida.

  • Má oclusão: A perda de um ou mais dentes provoca uma série de mudanças na cavidade bucal. Quanto mais tempo os espaços, antes ocupados pelos dentes perdidos, ficarem vazios, maiores as modificações. Dentes adjacentes a um espaço vazio tendem a se movimentar em direção a ele, e fechá-lo. Com isso, a distância entre os dentes é alterada, o que causa problemas de Oclusão.

  • Perda óssea: Quando um dente é perdido, inicia-se, no espaço vazio deixado por ele, um processo contínuo de perda de massa óssea. Nele, o osso encolhe em altura e largura. Este processo só é interrompido com a colocação de um implante.

  • Alterações na face: Os efeitos externos da perda óssea são observados nas bochechas, queixo e encolhimento da mandíbula. A pessoa passa a aparentar mais idade.

  • Dificuldades na mastigação: Em função das dificuldades na mastigação, alguns alimentos passam a ser evitados. A dieta mais restrita pode dar origem a problemas nutricionais.

  • Alterações na fala e pronúncia: A perda dos dentes altera a capacidade de falar e pronunciar claramente e sem dificuldade.

edentulismo



Compartilhe esse Infográfico no seu site (copie e cole o código HTML)



Clique aqui para visualizar uma versão em alta resolução deste infográfico


Estas informações são úteis?

Informe seus dados, e receba, gratuitamente, no seu e-mail, mais orientações e dicas como estas!